Símbolos do Caminho de Santiago

“A Cruz de Santiago”
A bela cruz vermelha possui a forma de espada, e uma ponta como lâmina, que pode ser enfiada no chão. A cruz serve como adorno para roupas de confrarias e dos Cavaleiros de Santiago, além de adornar artigos para presentes, como abridores de cartas, chaveiros, entre outros. Foi usada pela primeira vez pela Ordem dos Cavaleiros de Santiago, simbolizando o Apóstolo defensor dos cristãos na guerra da Reconquista.
“A Vieira”

Um dos principais símbolos do Caminho, a vieira é a concha de um marisco muito encontrado na região costeira da Galícia. A concha de vieira é o emblema que identifica os devotos ao culto de Santiago. De acordo com a lenda, o corpo do Apóstolo Tiago, perdido no mar, foi arrastado por correntes marítimas até uma praia da Península Ibérica, chegando intacto e coberto por conchas de vieira. Na Idade Média, a vieira era usada como amuleto contra pragas e maldições. Seu lado côncavo é utilizado em roupas, mochilas ou colares, sendo a concha natural ou com uma pintura de cruz-espada,a cruz de Santiago.

“As Pedras”

As pedras são símbolos muito marcantes do Caminho. Frequentemente são encontrados montinhos de pedras, às vezes em grande quantidade, em locais específicos do Caminho, ou ainda, pedras em cima dos marcos de distância ou simplesmente à margem dos caminhos. Como simbolismo, muitos peregrinos carregam suas próprias pedras para serem depositadas na Cruz de Ferro, no alto do Monte Irago, em León. Essas pedras significam problemas, coisas negativas, que o peregrino deixa na cruz para, daí em diante, ser uma nova pessoa, com uma nova atitude de vida.
“A Pata de Oca”
A Pata de Oca é uma figura muito antiga, originada da cultura celta, que a considerava como símbolo sagrado. Antigamente, as Ocas – ou gansos – eram guardiãs das casas, alertando sobre a presença de intrusos, com o ruído escandaloso que produziam. Os antigos peregrinos não possuíam mapas ou guias para se orientar, por isso, ao longo do Caminho é comum encontrar o símbolo da Pata de Oca, utilizado como guia, e que também foi um dos símbolos usados por antigos mestres construtores das catedrais.
“O Cajado”
Um dos instrumentos mais úteis do Caminho, o cajado torna-se imprescindível principalmente nas descidas por caminhos de pedras redondas. Feitos de galhos de avelaneiras ou de castanheiras, na Idade Média o cajado tinha um significado especial: representava a terceira perna e também a terceira pessoa da Santíssima Trindade. Atualmente, os cajados vêm sendo substituídos por bastões, mas os naturais ainda fazem muito sucesso entre os peregrinos.
Fontes: aqui e aqui.
About these ads

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s